Fimec 2021

SINBI conquista redução na Alíquota do ICMS no setor Calçadista

SINBI conquista redução na Alíquota do ICMS no setor Calçadista

O Presidente e o Vice-Presidente do Sinbi, Samir Nakad e Renato Ramires, juntamente com os polos de Jaú e Franca, depois de várias reuniões com o Governador João Doria e equipe para trazer benefícios para o setor, conquistaram a redução de 50% na alíquota de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) cobrado dos fabricantes de calçados de São Paulo.

Para Samir Nakad, a redução do ICMS tornará as empresas mais competitivas no mercado, pois automaticamente os preços serão reduzidos e as pessoas consumirão mais, com aumento de consumo, serão gerados mais empregos, o decreto beneficiará tanto as empresas como fornecedores e varejistas. “Nosso ICMS será de 3,5% para quaisquer vendas e não tomaremos mais crédito, seja de compras feitas dentro ou fora do estado, com a possibilidade dos nossos fornecedores de matérias-primas do estado de São Paulo não precisarem mais pagar ICMS daquilo que vendem para nós. Já os clientes receberão um crédito de 12% no nosso estado e nos demais estados será respeitada a alíquota que cada um já se credita atualmente. ” Conclui.

“O imposto sobre o calçado vai ser reduzido em 50%. Menos imposto, mais competitividade”, afirmou Doria. O anúncio foi feito durante visita ao polo calçadista de Franca. “Os calçados populares serão vendidos por preços mais convidativos e, portanto, mais competitivos no mercado brasileiro e também exportados. Igualmente, os calçados voltados ao público de alta renda também serão beneficiados. A redução de imposto permitirá que o industrial invista em design, embalagem, marketing e promoção, seja ela no Brasil ou fora do país”, acrescentou o Governador.

As alterações na legislação de ICMS servem para elevar a competitividade da indústria de São Paulo. A alíquota cobrada do setor calçadista passará de 7% para 3,5%, o que favorece a competição nacional e contribui para o fortalecimento do setor no mercado externo. A mudança também vai produzir melhor adequação da carga tributária, estendendo-se a toda a cadeia de calçados em São Paulo, inclusive distribuidores e varejistas.

“É um gesto histórico. Há mais de 12 anos que o setor calçadista pede a redução do imposto nesse patamar e nós tomamos a decisão, planejamos e anunciamos. A partir de janeiro do ano que vem, esse será o novo patamar da indústria calçadista de São Paulo, impulsionando as regiões de Birigui, Jaú, Franca e todo estado”, afirmou Doria destacando as cidades grandes produtoras do setor.

A redução tributária será possível porque a Secretaria da Fazenda e Planejamento irá ajustar a tributação pela concessão de crédito outorgado para que a alíquota efetiva seja de 3,5%. Com o incentivo, o Governo do Estado incentiva um importante setor da economia de São Paulo, que emprega muita mão de obra e pode gerar ainda mais empregos.



Fonte: SINBI

Mais Notícias

02 Abr 2020

Governo adia para maio novo modelo de ICMS para empresas calç ...

Conversas para ajustes no texto do decreto foram paralisadas por causa da Covid-19. Prorrogação permite tempo para finalizar as alterações necess ...

CONTINUE LENDO
28 Mar 2020

Calçadistas se reinventam no combate ao coronavírus

Empresas catarinenses e gaúchas doam máscaras

CONTINUE LENDO
VER TODAS NOTÍCIAS
Patrocínio
Apoio Institucional
Apoio Institucional
Realização